Claros Sinais de Loucura – Karen Harrington (Sure Signs of Crazy)

Claros Sinais de Loucura – Karen Harrington (Sure Signs of Crazy)

 

claros sinais de loucura

Quando Talita me emprestou esse livro dizendo que tinha se lembrando de mim ao lê-lo pois ele era muito fofo e a minha cara eu tive que levá-lo para confirmar se a sua impressão estava correta. E sim, ela estava coberta de razão. Não sei bem dizer o motivo, mas eu me identifiquei muito com o jeito de Sarah, a menina de 12 anos que narra a história.

Sarah é filha de Tom Nelson e Sarah Nelson, dois nomes bem famosos nos noticiários de TV pelo fato de sua mãe ter enlouquecido e tentando matar ela e o irmão gêmeo quando os dois tinham 2 anos. Tom havia saído para o trabalho quando tudo aconteceu e quando perceberam o ocorrido não conseguiram salvar Simon, o irmão de Sarah. Enfim, pai e filha desde então vivem mudando de cidade e de vida cada vez que alguém descobre o segredo deles, e Sarah vai contando a respeito de suas vidas enquanto narra em cartas a personagens fictícios (principalmente presentes no livro O sol é para todos de Harper Lee) todos os seus anseios, preocupações e sonhos da forma mais fofa possível. Apesar de todo trauma presente em sua vida, fica evidente a cada página que Sarah é apenas uma garota normal com questões super pertinentes a sua idade.

Seu talento para a escrita é encorajado pelo professor Sr. Wistler, o qual terá grande importância para Sarah durante todo seu trajeto. (Mais tarde pude ler nas notas da autora que ele foi uma homenagem direta dela a um professor de mesmo nome que teve importância em sua própria vida – achei muito legal a homenagem).

“À memória do meu professor de inglês do sexto ano, o escritor G. Clifton Wistler. Às vezes, a simples presença de um professor apaixonado pode inspirar você para o resto da vida.

Sarah também adora procurar o significado das palavras no dicionário e ficar tentando usá-las em seu dia a dia, opa acho que esse é um dos motivos pelo qual me identifiquei com ela. Eu meio que fazia isso com 12 anos. Seu primeiro amor está relacionado a essa paixonite estranha e quando você ler a história entenderá porquê.

Uma história de autoconhecimento e crescimento. Se você for um adulto lendo será impossível não se identificar com vários dilemas de Sarah, e se tiver a mesma idade dela, com certeza entenderá que tudo isso que você está passando na verdade é normal e que tudo ficará bem.

“Descobri que é preciso escolher ter coragem todos os dias, como se escolhe a camisa que vai vestir. Não é automático.” Pag 235

“Pelo menos eu sei que você vai ser sempre o mesmo toda vez que eu abrir o livro. Então sou apenas eu. E meu livro.” Pag 224 e mais um dos motivos pelo qual me identifiquei com Sarah.

 

claros sinais de loucura 2

When Talita lent me this book saying that it had remembered me when she read it because it was very cute and it looked a lot like me I had to take it to confirm if her impression was correct. And yes, she was covered in reason. I do not know why, but I was very much like Sarah, the 12-year-old girl who tells the story.

Sarah is the daughter of Tom Nelson and Sarah Nelson, two well-known names on TV news since her mother had gone mad and tried to kill her and her twin brother when they were 2 years old. Tom had gone to work when it happened and by the time someone realized what had happened they could not save Simon, Sarah’s brother. Anyway, father and daughter always move from one city to another and change lives every time someone discovers their secret, and Sarah goes on telling about their lives while narrating in letters to fictional characters (mainly present in the book To Kill a Mockingbird by Harper Lee) all her yearnings, worries and dreams in the cutest way possible. Despite all the trauma present in her life, it becomes apparent to every page that Sarah is just a normal girl with issues super pertinent to her age.

Her talent in writing is encouraged by Professor Wistler, who will be of great importance to Sarah throughout her journey. (I later read in the author’s notes that it was a direct tribute for one of her teachers of the same name, someone who mattered in her own life – I thought it pretty cool).

“In memory of my sixth-year English teacher, the writer G. Clifton Wistler. Sometimes the mere presence of a passionate teacher can inspire you for the rest of your life.”

Sarah also loves to look up the meaning of the words in the dictionary and try to use them in her day to day life, but I think that’s one of the reasons I’ve identified with her. I kind of used to do this kind of stuff when I was 12 years old. Her first love is related to this strange hobby and when you read the story you will understand why.

A story of self-knowledge and growth. If you are an adult reading it will be impossible not to identify with Sarah’s various dilemmas, and if you are the same age as her, you will surely understand that everything you are going through is actually normal and that everything will be fine.

“I’ve learned that you have to choose to be brave every day, like choosing the shirt you’re going to wear. It is not automatic. “

“At least I know you’ll always be the same every time I open the book. So it’s just me. And my book. ” Page 224 and this quote is another reason I identified with Sarah.

Compartilhe

Posts recomendados

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>