O lado bom da vida – Matthew Quick (The Silver Linings Playbook)

O lado bom da vida – Matthew Quick (The Silver Linings Playbook)

o lado bom da vida

Diferente do usual, esse livro eu comprei depois de ver o filme. Tinha gostado da história e vi muitos conhecidos comentando que o livro tinha bastante coisa diferente então fiquei curiosa.

Depois de lê-lo (leitura rápida pois o livro não é tão grande assim) achei obviamente que o livro é mais legal e muito mais profundo que o filme, porém achei a história bem adaptada para o cinema. É claro que no filme focaram mais na relação de Pat com Tiffany, pois transformaram a história em uma comédia romântica, mas se você deixar o preconceito de lado o filme foi até que bem fiel em muita coisa, e para mim o melhor personagem, o que está igualzinho ao livro é o Pat, o personagem do Bradley Cooper. A Jennifer Lawrence fazendo a Tiffany tava bem parecida com a do livro mas ele como Pat pra mim ficou melhor.

Para quem nunca viu o filme ou leu o livro aí vai o resuminho da contracapa pois estou com preguiça de contar aqui a minha versão da história (tô de férias galera!):

Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um “tempo separados”.

Tentando recompor o quebra-cabeça de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com o pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes de sua internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida.

Acho que o livro agrega muito mais em questão de conteúdo pois no filme não tem como vermos toda a luta interna de Pat com todas as grandes questões de sua vida, e sua força para sempre encontrar realmente o lado bom em tudo. Como disse aí em cima, na telona o filme acabou focando mais no romance (que eu tbém adoro) enquanto o livro foca muito mais no personagem do Pat e em tudo que ele enfrenta até descobrir porque realmente ficou internado.

A melhor parte do livro para mim foram as leituras e comentários das mesmas que Pat fazia. Ele tinha um olhar tão infantil sobre os temas abordados nas histórias que era engraçado ver a revolta dele com os finais considerados “ruins” por ele. Aliás, se você não leu algum dos livros que ele está lendo ao longo da história, esquece, pois você vai saber o final deles com certeza. Spoiler mode on in full. Os que lembro aqui que ele lê são O grande Gatsby, A letra escarlate e Redoma de Vidro. Ele fica muito revoltado com Redoma de Vidro.

o lado bom da vida 2

Unlike the usual, this book I bought after seeing the movie. I liked the story and saw many people I know commenting that the book was a little bit different so I was curious.

After reading it (quick reading because the book is not that big) I found it obviously cooler and deeper than the movie, but I Like how they adapted it for the movies. Of course, in the movie they focused more on Pat’s relationship with Tiffany, since they turned the story into a romantic comedy, but if you let the prejudice aside, the film was quite faithful, and for me the best character, who is just like the book is Pat, Bradley Cooper’s character. Jennifer Lawrence playing Tiffany was a lot like the one in the book but Bradley like Pat for me was better.

For those who have never seen the movie or read the book, here is the summary of the back cover because I am too lazy to tell my version of the story here (I’m on vacation people!):

Pat Peoples, a former teacher in his 30s, has just come out of a psychiatric institution. Convinced that he spent only a few months in that “bad place”, Pat does not remember what made him go there. What he knows is that Nikki, his wife, wanted them to stay a “separate time”.

Trying to reassemble the puzzle of his memory, now full of lapses, he still must face a reality that does not look very promising. With his father refusing to talk to him, his wife refusing to accept him and his friends avoiding to comment on what happened before his hospitalization, Pat, now addicted to physical exercise, is determined to reorganize things and regain his Woman, because she believes in happy endings and in the good side of life.

I think the book adds a lot more in content because in the movie there is no way to see all of Pat’s internal struggle with all the big issues of his life, and his strength to always find the good side no matter what. As I said up there, on the big screen the movie ended up focusing more on the romance (which I also love) while the book focuses much more on the character of Pat and everything he faces until he discovers why he was hospitalized.

The best part of the book for me were the readings and comments about them that Pat did. He had such a childish look on the topics covered in the stories that it was funny to see his anger with the endings considered “bad” by him. It’s a matter of fact that if you have not read any of the books he’s been reading throughout the story, forget it, because you’ll know the end of them for sure. Spoiler mode on in full. The ones I remember here that he reads are The Great Gatsby, The Scarlet Letter and The Bell Jar. He gets very angry with Bell Jar.

 

Compartilhe

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>