Uma história de verão – Pam Gonçalves

Uma história de verão - Pam Gonçalves

uma história de verão

Analu está prestes a partir para a faculdade de Cinema- a família queria Direito mas ela foi contra todos- em SP. Vai como ela mesma diz recomeçar. Mas antes deste recomeço ela irá viajar com os melhores amigos Gisele e Yuri para a praia para uma despedida. O que ela não considerava nessa equação era o aparecimento de um amor/desilusão amorosa do seu passado. Analu então terá que lidar com os conflitos familiares e de seu coração antes do grande recomeço.

O livro me lembrou muito Os bons segredos da Sarah Dessen no quesito conflitos de família. A Pam deve ter se inspirado um pouquinho na Sarah para a problemática toda apresentada em História de verão. Será!? As mães de ambas as histórias se parecem em muitos aspectos, assim como os irmãos. Em ambas as histórias também temos uma visão da protagonista dos acontecimentos, e em determinado ponto saberemos um pouco do que o irmão e a mãe acham de alguns acontecimentos. Em História de verão teremos isso mais com o irmão do que com a mãe, mas não deixa de ser uma similaridade muito grande e pra mim muito bem vinda já que eu adorei Os bons segredos e acho que explorar relações familiares nunca sai de moda. A gama de conflitos presentes aí é infinita.

Preciso deixar registrado a minha imensa surpresa em ver como a Pam conseguiu tratar algumas questões de sexualidade com tanta naturalidade. É algo tão sutil e simples quanto o que vejo e admiro nas séries da Shonda Rhymes, que pra mim é uma mestra em mostrar diversidade de uma forma natural. E o mais legal de tudo é que vemos isto com Analu e com seus dois amigos. Adorei!

Uma história de verão trouxe pra mim a cena quente que esperei no final de Boa Noite e mesmo assim ainda terminei o livro com o gostinho de já acabou!?

E o fato da história acontecer no Brasil, dentro da nossa realidade, assim como acontece em Boa Noite, pra mim só agrega mais ainda. De quebra fico conhecendo lugares que nunca estive, já que não saio muito de SP.

Que bom saber que a literatura brasileira está ganhando histórias tão legais e que podem gerar debates. Parabéns Pam pela coragem e ousadia em mostrar de uma forma tão pura e simples assuntos que deveriam estar sendo debatidos a muito tempo.

Aguardo ansiosa pelo próximo livro.

 

 

Analu is about to leave for film school – the family wanted Law school but she was against everyone – in SP. She’s going to start over. But before this fresh start she will travel with her best friends Gisele and Yuri to the beach for a farewell. What she did not consider in this equation was the appearance of a love/disappointment of her past. Analu will then have to deal with the family and the heart conflicts before her fresh start.

The book reminded me a lot about family conflicts Saint Anything from Sarah Dessen. Pam must have been inspired a little bit in Sarah. Did she!? The mothers of both stories are similar in many ways, as do the brothers. In both stories we also have a vision of the protagonist, and at some point we will know a little of what the brother and the mother think. In história de verão we will have this more with the brother than with the mother, but anyway there’s a great similarity and for me very welcome since I loved Saint Anything and I think that exploring family relationships never goes out of style. The range of conflicts there is endless.

I need to register my immense surprise at how Pam was able to deal with some questions of sexuality so naturally. It’s something as subtle and simple as what I see and admire in the Shonda Rhymes series, which for me is a master at showing diversity in a natural way. And the coolest of all is that we see this with Analu and her two friends. I loved it!

Uma história de verão brought me the hot scene that I waited for at the end of Boa Noite and even then I still finished the book with the taste of is it already over !?

And the fact that history happens in Brazil, within our reality, as it happens in Boa Noite, for me only adds more. Besides, I end up knowing places that I have never been, since I do not leave SP very much.

It’s good to know that Brazilian literature is gaining such cool stories that can generate debate. Congratulations Pam for the courage and daring to show such pure and simple subjects that should have been debated for a long time.

I look forward to the next book.

Compartilhe

Posts recomendados

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>