Five Feet Apart: Livro vs Filme – Semelhanças e diferenças

Five Feet Apart: Livro vs Filme - Semelhanças e diferenças

ScreenHunter 271

Estou devendo esse post faz uma semana, mas essa semana que passou foi o caos já que estava me preparando para ficar 10 dias de férias, ou seja, trabalho triplicado na firma e o de casa nunca acaba. Graças a Deus que pelo menos o vídeo eu já tinha gravado então deu tudo certo pelo menos com isso hehehe.

Agora falemos do filme A cinco passo de você em comparação a esse livro. Primeiro só posso dizer que o filme foi maravilhoso, pra mim tão bom quanto o livro.

Eu achei toda a ideia de criar um livro a partir de um roteiro muito legal, e foi a primeira vez que acompanhei o processo de certa forma de perto lendo o livro e depois assistindo ao filme quando foram lançados.

Já fiz um post de um vídeo sobre minhas impressões do livro e expectativas do que iria encontrar no filme, me digo que a maioria delas foi preenchida positivamente. O filme ficou sim bem fiel ao que foi narrado no livro – ou poderíamos dizer o contrário? – e creio que tanto quem viu o filme primeiro irá gostar da leitura quanto quem leu primeiro irá curtir o livro.

As cenas que vemos o filme estão todas presentes no livro, acho que a única diferença mesmo entre um e outro são que no livro temos muito mais comentários psicológicos sabe. Temos mais lembranças da Stella com relação aos amigos de escola, da sua vida fora do hospital, da sua irmã, dos seus pais, de como aconteceu a separação deles e como está a vida de ambos após o término do casamento.

Sobre Paul, entendemos bem mais afundo porque ele está separado do atual namorado e da família, já que sim conseguimos ler seus medos e anseios.

E com Will, entendemos bem mais toda a sua revolta em não querer seguir o tratamento a que está se submetendo, já que conseguimos fazer um tour por como a vida dele foi também antes de chegar no hospital que a história acontece. Entendemos mais sobre sua mãe também, e os motivos que a levam a fazer o que faz.

Acho que o livro acabou funcionando como um belo dicionário das atitudes que vemos no filme sabe. Pra mim foi uma experiência espetacular.

Um ponto extremamente positivo que encontrei no livro que talvez tenha ficado mais apagado no filme justamente por não conseguirmos ter todo esse background psicológico foi ver como ambos Will e Stella se desenvolvem como pessoas ao longo do tempo que passam no hospital, todas as conclusões que chegam sobre assuntos que eles tinham opiniões meio equivocadas. Apesar de que sério, Cole Sprouse e Haley Lu Richardson deram um show nos papéis.

E creio que a única coisa diferente entre ambos tenha sido a omissão no filme da última cena que temos no livro que funciona como um epílogo, onde vemos Stella e Will algum tempo depois de sua estadia no hospital – Stella já melhor depois do transplante, e Will ainda doente porém seguindo o tratamento e tentando viver como pode – ambos no aeroporto indo viajar e visitar lugares para riscarem de suas listas de coisas para se fazer antes de morrer.

Isso deixou o filme bem aberto por não sabermos lá se Stella e Will ficaram bem. Não vemos um depois do que aconteceu no hospital, ou seja, o final é bem aberto a interpretação. Creio eu que no livro, onde temos espaço para desenvolver mais tudo, os autores optaram por adicionar um epílogo – bem comum ao gênero literário –  do que aconteceu com eles depois e baseado no cartaz do filme e trailer, eles devem ter gravado algo similar na cena em que ambos se encontram numa rua, porém devem ter omitido justamente pra deixar o filme com o final mais aberto.

Aposto que veremos isso no DVD, que claro eu vou querer hehehe.

E é isso meus amigos, eu devo dizer que essa história vai entrar pro hall das melhores adaptações que já experienciei. Talvez eu faça um dia uma lista das que mais curti.

I  needed to post it a week ago, but this past week was chaos since I was preparing to be 10 days on vacation, which means, triple work at the company and the never ending house to dos. Thank God that at least the video I had already recorded so everything worked out.

Now let’s talk about the movie Five Feet Apart versus the book. First I can only say that the film was wonderful, And in my opinon as good as the book.

I thought the whole idea of ​​creating a book from a script really cool, and it was the first time I followed the process in a certain way by reading the book and then watching the movie when it was released.

I have already done a video and a post about my book impressions and expectations of what I would find in the movies, I can say that most of them were fulfilled positively. The film was very true to what was narrated in the book – or could we say otherwise? – and I believe that anyone who has seen the film first will like reading the book as much as who read first will enjoy the film later.

The scenes we see at the movies are all present in the book, I believe the only difference between one and another are that in the book we have a lot more psychological comments. We have more of Stella’s memories about school friends, of her life outside the hospital, of her sister, of her parents, of how their separation happened, and how their lives are after their divorce.

About Paul, we understand much more deeply the reasons he is separated from his current boyfriend and his family, since we can read his fears and desires.

And with Will, we understand much more of his rebel side and the not wanting to follow the treatment that he is undergoing, since we managed to tour for how his life was before arriving at the hospital that the story happens. We understand more about his mother as well, and the reasons that make her do what she does.

I think the book turned out to be a beautiful dictionary of the attitudes we see in the movie. For me it was a spectacular experience.

An extremely positive point I found in the book that may have been more blurred in the film precisely because we could not have all this psychological background was to see how both Will and Stella develop as people over the time they spent at the hospital, all the conclusions that come on subjects that they had wrong opinions. Although seriously, Cole Sprouse and Haley Lu Richardson gave a show as the main characters.

And I think the only thing different between the two was the omission of the last scene we have in the book that works as an epilogue, where we see Stella and Will some time after their stay at the hospital – Stella already better after the transplant, and Will still sick following the treatment and trying to live as he can – both at the airport going to travel and visit places to scratch from their lists of things to do before they die.

That left the movie wide open for not knowing if Stella and Will were well. We do not see one what happened after the hospital, so the end is quite open to interpretation. I believe that in the book, where we have space to develop more everything, the authors chose to add an epilogue – very common to the literary genre – of what happened to them later and based on the movie poster and trailer, they must have recorded something similar where they  both are in a street, but must have omitted just to leave the film with the end more open.

I bet we’ll see that on the DVD version, of course I’ll want to buy it hehehe.

And I must say that this story will enter to the hall of the best adaptations I have ever experienced. Maybe I’ll make a list of the ones I liked the most.

 

Compartilhe

Posts recomendados

Deixe uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>